CULTO DE DOMINGO DE EPIFANIA


A Esperança necessita da Lembrança
Introdução
Penso que algumas; que alguns de vocês ainda se lembram da estrela que, no tempo do Advento, eu fixei sobre o telhado da minha casa. Aquela estrela um símbolo de esperança!
Epifania – Deus nos leva em Conta
Gente querida! A esperança só brota no peito da pessoa que exercita lembranças. Aprendi isto dos textos bíblicos para este Culto do 2º Domingo de Epifanias que lemos faz pouco. Sim, para se experimentar a esperança há que articular a memória. 
A nossa vida, presente e futura, é fruto das vivências que experimentamos ontem e hoje. Vive melhor a pessoa que consulta sua memória; quem vasculha sua história com o objetivo de entender-se a si mesmo. Deus se faz presente na nossa vida quando recordamos Seus feitos passados.
Volto a frisar: Quem quiser experimentar a esperança, necessitará articular a lembrança. Essa regra é básica para a nossa vida e também se aplica aos princípios centrais da fé cristã. A humanidade, durante dois mil anos, nunca se esqueceu do fato de que Deus se fez homem com o intuito de mostrar Seu amor, caminhando conosco.
Hoje, quando festejamos Epifania, celebramos o fato de que Jesus se deu a conhecer ao mundo; o fato de que a ação de Jesus Cristo promove mudanças no nosso mundo; o fato de sabermos que Deus está no leme do mundo e que Ele nos tem em grande conta.
É na Festa de Epifania que o amor de Deus se revala à humanidade. Jesus não permite que nada O desvie de nos amar como nos ama. Tanto isso é verdade que Ele sustentou este amor para conosco, mesmo sofrendo a tortura da cruz.
Estamos insatisfeitas; insatisfeitos com a nossa vida? Estamos vivendo momentos de raiva; de insatisfação com Deus? Que coisa! Saibam que em todo e qualquer momento, seja ele bom ou ruim, nós podemos nos recordar que Deus nos perdoou e que, por causa disso, podemos recomeçar sempre de novo do zero. 
Nós já podemos lançar nossos pensamentos à Sexta-feira Santa. A morte experimentada por Jesus não foi a última palavra de Deus. Há vida depois da morte. Se andamos no ladinho da morte; se duvidamos e até reclamamos da nossa vida; se experimentamos a escuridão que brota dos abismos que nos ladeiam, mesmo assim, lembremo-nos que Jesus Cristo vive.
Não! A morte não nos assusta; ela não tem a última palavra. É por isso que celebramos a Páscoa.
Conclusão
A esperança precisa da nossa lembrança. Guardem isso! A esperança precisa que nos recordemos constantemente das pessoas com as quais temos relações; que nos recordemos diuturnamente da nossa relação com Deus. É dessa forma que melhor podemos invadir o ano de 2013. É assim que devemos comemorar este tempo de Epifania. Comemoremo-lo gratidão e enchamo-nos da esperança do Momento Novo que ainda está por vir. Amém.
Pastor Renato Luiz Becker
20/01/2013
Culto de Epifania