ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DA PARÓQUIA DE ITOUPAVA CENTRAL:

Aconteceu no dia 20 de fevereiro de 2014, na Igreja do Salvador da Comunidade de Itoupava Central, a Assembleia Geral Ordinária da Paróquia de Itoupava Central.


Sob a condução da Presidente Helga Knaesel, foram apresentados os relatórios da diretoria da Paróquia e dos ministros pastores Mauri Schlösser e Renato Luiz Becker.

Também, foi apresentado para os presentes da Assembleia, o demonstrativo financeiro referente o exercício de 2013, o qual foi aprovado por unanimidade pelos representantes do Conselho Paroquial.



No seu relatório, a Presidente Helga enfatizou a gratidão por todo o trabalho realizado, pelas contribuições efetuadas e pelo convívio no caminhar de todos os grupos que existem na Paróquia. Viver em Comunidade é um presente precioso de Deus, completou.


Os ministros pastores também relataram o caminhar dentro de nossa Paróquia. Veja abaixo, os relatórios do Pastores Renato Luiz Becker e Mauri Schlösser.

IGREJA EVANGÉLICA DE CONFISSÃO LUTERANA NO BRASIL

ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DA PARÓQUIA EVANGÉLICA DE ITOUPVA CENTRAL

RELATÓRIO DAS ATIVIDADES DO P. RENATO LUIZ BECKER – (Mar 2013-Fev2014)

 INTRODUÇÃO

A Igreja do Senhor é uma Instituição que “singra pelo mar”, tal qual um barco. Assim, navegando, enfrenta alegrias, mas também tempestades, lutas, angústias e dores. Num dado momento, o poeta chega a perguntar-se: - Será que ela resistirá por mais tempo? A História testemunha que sempre resistiu. E isso é assim porque Ela tem um Bom Navegador; um Deus que dá subsídios que geram resistência às mulheres e aos homens, às gentes comprometidas com a verdade que liberta (João 8.32). Só dessa forma é que esse povo cristão consegue continuar doando-se à mesma. É a Festa do Reino acontecendo aqui e ali, a partir de pequenos sinais. Eu, por meu turno, embarquei nesta “canoa” lá pelos idos de 1972. Naquela época, reagi com um pequeno “passo” em direção a Deus que já me chamara, por ocasião do meu Batismo. E, nestes dias, eis me aqui, desempenhando o Sacerdócio Especial, com alegria, em meio ao vento e com os olhos no horizonte.

1. OS MESES DE JANEIRO E FEVEREIRO

Os meses de janeiro e fevereiro de 2013 desestabilizaram um pouco a nossa Paróquia. Por que isso? Ora, porque foram oito semanas em que, na prática, com exceção de uns poucos Cultos Dominicais, quase todos os trabalhos comunitários estacionaram. Em contrapartida foi época de se planejar o ano em curso, a partir de uma proposta para ser impressa no calendário. Também foi o momento oportuno de prepararmos os conteúdos para o Retiro Comunitário de Lideranças onde focamos nossa atenção na estratégia para mais bem sermos Comunidade. Nesse mesmo período, só que de 2014, dei de mim fazendo visitação e, ao mesmo tempo, me ocupando com dois programas radiofônicos na Antena 1 FM – 96.5. Junto com o P. Clovis Horst Lindner articulo, uma semana sim e outra não, de segundas às sextas-feiras, às 07h e 45min, o programa “Um Olhar para o Vale” e, sempre aos domingos, às 07h e 30min, o Programa “Bate Papo de Domingo”.

2. O DIA-A-DIA COMUNITÁRIO

É em março que meu ministério se abre em leque. Os domingos de 2013 resumiram-se aos referidos Programas de Rádio (semanais); aos Cultos Comunitários e também à Visitação. Meu envolvimento com a Comunidade deu-se sempre durante às manhãs, às tardes e às noites.

Às segundas-feiras sempre experimentei o meu dia de folga semanal – isso quando não fui plantonista ou quando não houve algum evento promovido pelo Sínodo Vale do Itajaí. Na realidade não se pode dizer que estes dias sejam um bom “domingo” para o ministro eclesiástico. Por quê? Simples! É dia útil e todas as pessoas estão ocupadas com seus afazeres. Dessa forma o lazer familiar fica comprometido. O que se faz? Ora, vai-se ao supermercado ou paga-se as contas, nada muito mais do que isso.

Quando chegavam as terças-feiras, eu iniciava o dia engajado com a proposta do Ensino Confirmatório. Esse projeto também se estende na parte da tarde. Sempre dediquei o tempo que resta entre um e outro momento à confecção da Liturgia e da Prédica que seriam verdade no Culto do próximo domingo. Raras foram as vezes em que me afastei das propostas das Senhas Diárias. Quando era de noite, volta e meia me ocupava com a repartição de uma Meditação para as pessoas que fazem parte do Coral Misto e ou ainda dava de mim em prol das já referidas Liturgia e Prédica.

Nas quartas-feiras, sempre iniciei o dia me colocando à disposição de diálogos na Sala do Templo. Ali ouvi pessoas que vieram dialogar sobre assuntos da vida; que buscaram ânimo para sua caminhada. Na parte da tarde sempre houve os encontros ou da OASE Elisabeth; ou da OASE Carolina; ou da OASE Esperança. Quando vinha a noite, me envolvia com os Encontros de Estudo Bíblico na Margem Esquerda; em Itoupava Alta e, até meados do ano, na Estrada Carolina.

Às quintas-feiras sempre foram sinônimo de visitação. Na parte da manhã visitei, preferencialmente, os membros ligados à Comunidade Evangélica de Itoupava Central. Aqui e ali lhes distribuía a Ceia do Senhor. Também, mensalmente, reuni-me com o colega Mauri Schlösser para melhor pensar os trabalhos Paroquiais. Já às tardes, uma vez ao mês, participei de visitações com o Grupo de Visitação da Comunidade; envolvi-me com o Grupo da Terceira Idade Raio de Sol. Aliás, foi a partir desse Grupo que me deixei guindar à Coordenação da Pastoral do Idoso no Sínodo Vale do Itajaí. Também doei-me ao Grupo de Senhoras do Canto & Artes. Aqui e ali, quando o sol caía, era a vez do nosso novo Grupo de Mulheres e ou do nosso novo Grupo da LELUT (Legião Evangélica) ou ainda dos nossos Cultos de Louvor. Impressionante a percepção do bom momento que os participantes destes eventos comunicam com a boca e também com o corpo.

Nas sextas-feiras sempre ocupei a parte da manhã para preparo pessoal com o qual embaso as nossas Programações. Sim, porque boas palavras vêm de boa reflexão. Nesse dia, uma vez por mês, me diriji à Livraria Martin Luther ou ao Centro de Eventos Lar Rodeio 12, onde participei da Equipe Editorial do Jornal “O Caminho”. À noite, mensalmente, dei de mim em prol do Grupo de Casais Girassóis.

Aos sábados, sempre me ocupei com a JEITO (Juventude Evangélica Itoupava). Esse Grupo de Jovens foi criado a partir das jovens e dos jovens confirmados em 2012. Também procurei andar próximo da JEIC, aliás, sonhei que este Grupo articularia o Projeto “Refletindo a Vida”; que essa nossa JE mais adulta usasse seu potencial para desafiar a Comunidade de um modo geral a mais bem viver neste “jardim” que nos foi presenteado por Deus para administrar. Esse sonho não se realizou, infelizmente. Também sonhei com uma noite mensal com a proposta do “Cine JEIC” que seria o momento para refletirmos mais vida a partir de um sem-número de diretores, mas também essa ideia sucumbiu. No meio dessas programações celebrei Matrimônios Luteranos e Ecumênicos; Bodas de Prata e Ouro; Cultos de Formatura nos templos e sociedades de Blumenau (SC). 

3. DESTAQUES

3.1. O Tempo da Páscoa - Na Comunidade Evangélica de Itoupava Central existem muitas pessoas comprometidas com o Reino de Deus. Sinto alegria no ar quando das nossas Celebrações. São muitas as pessoas que têm descoberto a Proposta Cristã e, por isso mesmo, vivido o referencial de mais dar do que receber. A base em que me fundo para explicitar esta constatação são os pequenos sinais de paz, amor e perdão que Jesus veio plantar e que, aqui e ali, já nascem e florescem no nosso meio. Os três Cultos da Páscoa (Tríduo Pascal) que, na realidade, são um só mexem conosco. Se for verdade que fui chamado por Deus para exercer o Sacerdócio Especial nesta localidade, também é verdade que muitas mulheres e muitos homens exercem o Sacerdócio Geral no nosso meio. Isso fica evidente quando dessas Celebrações.

3.2. O Tempo de Advento - A época de Advento é Momento substancial da Igreja. Nela percebo mulheres e homens lutando para colocar em prática daquilo que ouviram, viram e experimentaram na sua história de IECLB. Seus olhos brilham de esperança quando o assunto da visita de Jesus Cristo é pautado a partir da estética do templo; do verde do pinheiro e da coroa de Advento; do presépio; da luz que vem da estrela; da Boa Nova que brota da Bíblia... Que alegria poder celebrar a proximidade de Deus em Comunidade. Percebi que não fui somente eu que senti esta verdade acontecendo no nosso meio.

3.3. O Tempo das Festas - Mostramo-nos como uma Comunidade que respira, apesar dos apesares. Jesus gostava da festa. Usava o momento para encontrar-se com as pessoas. O Filho de Deus não evitava as mulheres e os homens porque gostava de gente. Festas sempre foram e continuam sendo excelentes meios de promoção da comunhão. Lamentavelmente os nossos momentos festivos são necessários para a feitura de caixa. Há que se trabalhar para que, num futuro próximo, mais pessoas contribuam espontaneamente com bem mais do que está especificado como mínima contribuição nos nossos carnês. Chegará o dia em que se perceberá que não fomos chamados por Deus para sermos servidos, mas para servir. Adoraria estar aqui neste dia em que a Festa visará somente a Comunhão. Foi em vista desse objetivo que trabalhei durante todo o ano de 2013. Quem de nós se esquecerá da Celebração dos 130 anos; do Culto dos Jubileus de Confirmações; dos Cultos de Batismo; dos Cultos de Confirmação; dos Cultos Dominicais com a Ceia do Senhor; dos Cultos de Tomé; do Culto do Domingo Cristo Rei; dos Cultos nos Cemitérios; dos Cultos de Bodas; do Concerto Natalino; das Pasteladas e de tantos outros Momentos vividos?

3.4. O Tempo dos Sonhos - Penso que a nossa grande riqueza sejam as pessoas que fazem parte, aliás, que se descobriram como parte deste Projeto do Amor de Deus que é verdade, a partir da Igreja do Salvador. Percebo que estas pessoas também sonham com grupos mais ativos; com uma cancha de bocha; com um pátio marcado pelo sorriso das crianças; com uma juventude que viva sua Comunidade com mais intensidade; com passeios e trocas de experiências; com retiros, acampamentos e programações mais específicas voltadas à edificação da Comunidade; com a bola rolando no nosso campinho e, junto, aprimorando a comunhão; com compromissos em constante ebulição; com mais lideranças exercendo seus dons e talentos; com a repartição do poder; com a música abundante em cada canto e recanto das nossas edificações; com peças de teatro sendo ensaiadas; com mais e mais casais envolvidos; com sempre mais pessoas idosas sendo levadas em conta... Se o sonho do Reino de Deus já se deu com o engajamento de alguns poucos homens e outras tantas mulheres, conforme o testemunho do Novo Testamento, porque isso não seria também viável aqui às margens da Dr. Pedro Zimmermann, 10.139?

3.5. O Tempo das Crises - Entendo que as crises são ótimas para que se possa checar o que vem sendo feito, arquitetado no nosso meio. Porque poucas e poucos se dispõem a servir? Será que a Proposta de Deus está sendo bem proclamada? Será que não relaxamos no nosso testemunho de vida? Percebi que o ano de 2013 foi pródigo para a percepção da necessidade de constantes avaliações. Daí que o nosso Planejamento Estratégico nos mostrou muita coisa. Muitas das falhas que se viu naquele longínquo fevereiro de 2013 já não assustam mais. No entanto, hoje já se percebem outras dificuldades. Coisa boa não precisar fugir dos problemas, mas enfrentá-los de cabeça erguida como nos sugerem os Evangelhos.

3.6. O Tempo da Vida - Nossos antepassados deram de si para que hoje vivamos o momento que vivemos. O fato é que as novas gerações já batem à nossa porta pedindo passagem. Não nos resta alternativa senão abrirmos espaços para este novo pessoal que mostra a cara nas nossas salas. Em vista dessa visão, sempre procuro olhar, me envolver com novas pessoas. Num dado momento da história, procuro alcançar ferramentas de atuação nas mãos destas ou daquelas pessoas. Se fizerem sua tarefa bem feita, estão passando a mensagem de que querem seguir em frente. É hora de escancarar as portas, mas sempre sob a maestria do nosso Presbitério. Se hoje somos pessoas ativas, amanhã as circunstâncias nos impedirão de sermos tais e quais. Em vista disso, procuro abrir os olhos para ver brotos de vida nas famílias da gente que nos circunda. 

3.7. O Tempo da Comunicação - Como ministro eclesiástico pastor procurei desenvolver os trabalhos na Comunidade com o “cheiro” do Ministério da Palavra; da Missão; da Edificação; da Diaconia e da Catequese. Assim, tentei espelhar-me em Jesus que, em níveis iguais, não só tratava do espírito, mas também do corpo das pessoas. Foi dessa forma que procurei atuar, visando sempre abrir a possibilidade para todas e todos que quisessem participar do trabalho com crianças; com pré-adolescentes; com adolescentes; com jovens; com mulheres e com homens adultos; com casais e com idosos. É pensando assim que trabalhei de forma aberta com os olhos voltados para a Música; para o Teatro; para os Estudos Bíblicos; para a Comunicação oral e escrita. É com este intuito que sempre que possível publico minhas prédicas no Blog da nossa Paróquia; que me comunico com pessoas no Facebook; que me esmero em responder e-mails. Aliás, continuamos sonhando em recolocar o Jornal “O Caminho” não mão de todas as pessoas que compõem os quadros da nossa Comunidade.   

3.8. O Tempo do Diálogo Cristão - No ano que passou senti-me enriquecido no contato com as colegas e os colegas do Sínodo Vale do Itajaí. Jamais me esquecerei da Segunda Convenção de ministras e Ministros da IECLB ocorrida em Curitiba (PR). Em 2013 também tive o privilégio de caminhar com pessoas oriundas da Igreja Evangélica da Alemanha que visitaram nossa Comunidade com o intuito de observar o que aqui se fazia na área da Diaconia; na área do serviço em prol da mulher e do homem. Nesses contatos começamos a aprimorar uma Parceria de Diálogo com irmãs e irmãos, diáconas e diáconos, oriundos do Sul da Alemanha (Beyern). Nossa idéia é continuarmos repartindo saberes a partir de encontros via Skype e, quem sabe, num futuro próximo trocando mais experiências a partir de viagens internacionais.  

3.9. O Tempo dos Ofícios Religiosos - Sim, o ano de 2013 trouxe consigo alegrias e tristezas. Dentro da oficialidade, tive o prazer de conviver com os pais e as mães de 31 crianças que batizei; com as mães e os pais de 29 adolescentes que reagiram com um “sim” ao grande “SIM” de Deus quando de sua Confirmação. Também pude exultar com a alegria pública em 04 Bênçãos Matrimoniais; de 03 Bodas de Prata; de 01 Boda de Coral; de 05 Bodas Ouro; de 02 Bodas de Brilhante; de 24 Profissões de Fé. Sofri ao ser chamado para 16 Momentos de Despedida. Para estas ocasiões, sempre procurei dar tudo de mim, uma vez que são momentos chave na vida de qualquer família.

4. AS DIFICULDADES DA HORA

Diante das dificuldades o rosto de Estevão revelou traços de anjo (Atos 6.8-15). Claro que não tenho os dons que foram dados a Estevão, mas vivo a minha fé. Ao olhar-me no espelho, não vejo ali nenhuma fisionomia angélica. Em lugar disso, percebo-me com o rosto um tanto vincado por causa de algumas preocupações... 

4.1. Mais Ousadia? - Trabalhar em três turnos, quase que ininterruptamente, pelo período de alguns meses, causa estresse. Chega o momento que há tanto o que fazer que não se dá mais conta de trabalhar com a qualidade que a Proposta Cristã exige. Será que não seria viável agregarmos mais uma pessoa para atuar no Sacerdócio Especial na área da Diaconia ou da Catequese na nossa Paróquia? Tal ousadia contribuiria em muito para um trabalho pastoral mais focado na visitação; no estar junto de quem sofre. Esse sonho transformado em realidade, certamente se mostraria extremamente útil na edificação da Comunidade a partir de outros enfoques. 

4.2. Doutrina Luterana? - Ventos estranhos, soprados por doutrinas outras, têm se arremetido contra a IECLB que, aberta, acaba cedendo lugar ao oportunismo de uma ou outra minoria teológica. Sempre é assim que as pessoas que se adaptam às propostas teológicas estranhas parecem ter tudo à mão. Já as que não se encaixam no tal “programa alienígena” estão condenadas. Reza a experiência que todo e qualquer grupo radical nunca têm a mínima noção de processo, de transformação dentro da via democrática. E assim, suas lideranças acabam sendo cruéis com as pessoas diferentes que vêm. Como portar-se dentro desta “ventania”?  Entendo que a resistência e, ao mesmo tempo, a submissão às quatro bases da Confissão Luterana (Somente Fé; Graça; Escritura e Cristo) seja boa postura.

5. SONHOS DESTE MINISTRO ECLESIÁSTICO

Continuo sonhando com uma Comunidade que saiba ler a Bíblia de forma contextualizada; que seja tocada pelos quatro Ministérios (Missionário; Catequético; Diaconal e Pastoral); que não esteja engessada no passado e, ao mesmo tempo, aberta para os novos conceitos que levam a uma Pastoral Urbana...

CONCLUSÃO
Leio o Antigo Testamento e observo Abraão. Deus desafiou-o a não se instalar na terra que habitava. Sugeriu-lhe, isto sim, que saísse caminhando em direção a todas as famílias do mundo e que, nessa empreitada, fosse uma bênção às mesmas, ou seja: que a partir de toda a sua informação e postura, plantasse sementes de paz espiritual e material entre os povos não judeus (Gênesis 12.1-3). Abraão dialogou com sua esposa Sara e, depois disso, se foi. O resultado? Ora, em Êxodo 12.38 está escrito que ao povo de Israel “se acoplou um misto de gente”, ou ainda, “gentes de muitíssimas classes”. Quer dizer, Abraão foi um dos poucos que tinham clareza de que a misericórdia de Deus é grande e que, por isso, deve ser repartida com os da periferia cultural. Sempre me propus e, para 2014, continuo me propondo nesta empreitada...

A seguir, leia o relatório do Pastor Mauri Schlösser:

RELATÓRIO DE ATIVIDADES 2013
Período: 22 de fevereiro de 2013 a 20 de fevereiro de 2014

INTRODUÇÃO

Deus se apresenta e diz: “Eu sou o Deus Todo-Poderoso. Viva uma vida de comunhão comigo e seja obediente a mim em tudo.” (Gênesis 17.1)
Enquanto medito sobre esta palavra – saboreando-a, apreciando-a – percebo quem sou de verdade e qual a realidade mais profunda em que eu vivo.
Deus se coloca diante de mim. Ele fala comigo. Ele quer que eu viva em comunhão com ele. Ou seja, ele deseja que eu me relacione com ele, que eu tenha contato com ele. Esteja ligado nele. Assim como ele fala comigo, que eu fale com ele. Que eu lhe diga o que se passa comigo. Pois, eu sou dele. Por isso, devo viver orientado pela sua palavra, sendo obediente a ele em tudo.
A meditação na palavra me ajuda a viver com a inspiração divina. A palavra ilumina, lança a luz de Deus sobre a minha vida, e faz com que eu entenda a minha existência sob um novo ângulo.
Assim, a vida cotidiana ganha um novo aspecto. Eu estou em Deus. Sou carregado por Deus. Ele molda a minha vida. Ele me ajuda a viver em comunhão com as pessoas. E isso é bom. Por isso, “viDas em comunhão”.

GRATIDÃO

Expresso a minha gratidão a Deus, que me deu saúde, capacidade, força, para realizar o trabalho, as atividades planejadas. Gratidão também ao Senhor Jesus Cristo, que me chamou para ser servo da palavra, deu-me o ministério da palavra, da reconciliação, de pastorear o 2º pastorado da Paróquia Evangélica de Itoupava Central. E gratidão ao Espírito Santo, que me iluminou e me concedeu os dons para o trabalho, que foi realizado e está sendo realizado.
Também manifesto a minha gratidão a todas as pessoas que de alguma forma contribuíram com seus dons e talentos no trabalho de edificação na fé, ou seja, no Ser, Participar, Testemunhar - dos grupos, das comunidades, pontos de pregação e da paróquia, bem como agradeço ao colega Pastor Renato Luiz Becker, com quem algumas atividades foram compartilhadas e ou realizadas sob a coordenação de um ou dos dois pastores. Além disso, agradeço pela oportunidade que tenho de apresentar a esta Assembleia Geral Ordinária do Conselho Paroquial da Paróquia Evangélica de Itoupava Central este relatório de atividades pastorais.

RELATÓRIO

Neste relatório apresento atividades que aconteceram entre 22 de fevereiro de 2013 a 20 de fevereiro de 2014. Portanto, são dados do planejamento que estão no Calendário de Atividades 2013 de nossa Paróquia.
Graças a Deus, que em sua bondade, concedeu forças, capacidade, amor, discernimento, sabedoria e direção para o trabalho, que aconteceu sob o tema: Ser, Participar, Testemunhar – Eu vivo comunidade.
Celebramos 45 cultos nas comunidades de nossa Paróquia. Neles foram realizados 10 Batismos e 07 Confirmações. O Batismo nos mostra que fomos adotados incondicionalmente como filhas e filhos de Deus. Que Deus derramou o Espírito Santo sobre nós, que ele “nos lavou, fazendo com que nascêssemos de novo e dando-nos uma nova vida.” (Tito 3.5). Já a confirmação – Bênção para a Vida – significa que Deus nos confirma na fé. E “por estarem unidos com Cristo, ele mesmo os aperfeiçoará e dará firmeza, força e verdadeira segurança.” (1 Pedro 5.10).
Menciono aqui alguns cultos especiais: da família – com o início das atividades do Culto Infantil e com celebração de aniversários de Batismo: 05 anos e 10 anos; na Semana Santa, de Ação de Graças, festivos, de finados nos cemitérios, de Advento, o de encerramento das
atividades do Culto Infantil no ano, quando as crianças encenam e apresentam a história do nascimento de Jesus, de Natal.
Também dirigi celebração referente à Páscoa na escola Duque de Caxias.
Gosto de pensar que o culto – o serviço de Deus em nossas vidas – prepara para que a vida seja vivida em fé, esperança e amor. Ou seja, para que a nossa vida seja culto a Deus. Em outras palavras, que as pessoas vejam o nosso ser, participar, testemunhar: o viver comunidade, e se sintam convidadas a também ser, participar, testemunhar, viver comunidade, servindo e louvando a Deus, com alegria e gratidão.
Celebrei 02 Bênçãos Matrimoniais, 03 Bodas de Prata e 06 Bodas de Ouro. Todas estas celebrações foram precedidas por encontros de preparo, na maioria das vezes, na casa do casal. Com exceção de uma Bodas de Prata participei, a convite, de todas as festas, que se seguiram as celebrações.
Dirigi 06 encontros de preparo de Batismo. Alguns desses encontros contaram com um grande número de participantes. A vida cristã consiste em lembrar-se diariamente do Batismo, para com ele, rememorar a promessa de Deus.
Acompanhei 05 pessoas no preparo de suas profissões de fé para admissão como membros na IECLB, Paróquia evangélica de Itoupava Central. O acompanhamento se deu através de reuniões de preparo, orientação nos conteúdos essenciais da fé cristã, bem como diálogo sobre a importância da participação – da vivencia da fé – em gratidão e compromisso na comunidade.
Quanto ao trabalho nos diversos grupos: Estive presente em 06 encontros de preparo do Culto Infantil com as Orientadoras e orientadores do Culto Infantil. Para estes encontros sempre preparei as reflexões, com dicas para trabalhar o texto bíblico no encontro das crianças do Culto Infantil. Também preparei um auxílio solicitado pelas orientadoras e orientadores do Culto Infantil com a temática: “Bênção, abençoar”. E quando não pude participar deixei as histórias prontas.
O encontro de encerramento e confraternização das orientadoras e orientadores aconteceu na casa da Dayara Barth.
Coordenei 52 encontros de Ensino Confirmatório do segundo ano (26 Matutinos e 26 vespertinos) e 62 encontros de Ensino Confirmatório do primeiro ano (31 matutinos e 31 vespertinos) na Comunidade Evangélica de Tatutiba I.
Grupos de OASE: Lydia (grupo com atividades em língua Alemã) e Trindade (grupo com atividades em Português). As senhoras do grupo de OASE Lydia tiveram 09 encontros e as mulheres do grupo de OASE Trindade reuniram-se em 08 ocasiões. Os encontros são sempre oportunidades de compartilhar vivências, assuntos, sentimentos. Tudo é colocado sob a luz da palavra de Deus. Pois a nossa vida só flui, tem sentido e é frutífera se não nos agarrarmos a nós mesmos, mas nos entregarmos a Deus.
O grupo de OASE Lydia recebeu a visita do grupo de OASE da Comunidade São Mateus - Fortaleza. O grupo Lydia na comemoração de seu 38º aniversário recebeu a visita do grupo de OASE Elisabeth da Comunidade Evangélica de Itoupava Central. O grupo de OASE Lydia surgiu no dia 02.09.1975. No primeiro encontro estiveram presentes 18 mulheres. Das fundadoras ainda participam do grupo: a Tusnelda Lehn e a Elga Voigt.
O grupo de OASE Trindade recebeu a visita do grupo de OASE Marta e Maria da Comunidade Gustavo Adolfo – Vila Itoupava. O grupo também se reuniu uma vez na casa da dona Elfriede Georg. Além disso, o grupo fez uma viagem para Nova Trento – Madre Paulina – e Brusque.
Ambos os grupos de OASE foram visitar o grupo de OASE Primavera – em Penha. Também em conjunto visitaram o grupo de OASE da Comunidade Evangélica de Rio Negrinho.
Os grupos de OASE Lydia e Trindade também elegeram as suas novas diretorias (mandato 2014-2015).
Os grupos de OASE de nossa paróquia também realizaram a celebração do Dia Mundial de Oração, com a temática: “Era forasteiro, e me hospedastes” organizada por mulheres cristãs da França, na Comunidade Evangélica de Tatutiba I. Coordenei a celebração paroquial das OASEs pelo Dia das Mães na Comunidade Evangélica de Itoupava Central. Na celebração da Semana Nacional da OASE, na Comunidade Evangélica de Itoupava Central, trouxe, no inicio, uma mensagem em língua Alemã, mas não pude participar de todo encontro devido a um sepultamento no mesmo horário.
Participei e dirigi a meditação em 09 encontros do Bummelkreis. São sempre encontros maravilhosos, que inspiram, fomentam a comunhão e oferecem alegria aos participantes. O Bummelkreis recebeu a visita do grupo de Idosos “Gute Freunde” da Paróquia Blumenau-Centro. O Bummelkreis – como o nome indica – foi passear um dia no Pesque e Pague Recanto da Natureza. Também visitou a grupo de Idosos da Comunidade Fortaleza Alta. Além disso, promoveu o Dia da Pizza na Tatutiba, com muito êxito.
Dirigi 32 encontros de Estudos Bíblicos: sendo 02 na Estrada Carolina; 02 na Itoupava Alta, 01 na Margem Esquerda; 09 na Sociedade União; 09 na Tatutiba III e 09 na Tatutiba I. Os Estudos Bíblicos, com exceção do grupo na Sociedade União, são realizados sempre em casas dos membros da localidade. Cada mês na casa de uma família. Estes encontros fomentam a convivência, a partilha de vivências, e fazem surgir perguntas, que são analisadas a partir de textos bíblicos. É um aprendizado junto aos pés de Jesus, como o fez Maria, que “sentou-se aos pés do Senhor e ficou ouvindo o que ele ensinava.” (Lucas 10.39).
Visitas! Visitas são expressão de convivência, de vida em comunhão. São oportunidades de ouvir, de dialogar, de aprender, de caminhar junto, de vivência de fé e amor. No ano foram realizadas 55 visitas a famílias. Dentre essas duas foram realizadas em conjunto com a presidente da Paróquia, senhora Helga Knaesel: uma foi para dar um auxilio a uma
família em necessidade e outra foi para três pessoas, com as quais falamos sobre a importância da vida em comunidade, da fé, gratidão e compromisso.
Visito os conselheiros da Paróquia na área do segundo pastorado, praticamente, todos os meses. Algumas vezes, estas visitas são rápidas, outras vezes são mais longas, com diálogos sobre assuntos ou perguntas que a conselheira ou o conselheiro tem. Este relacionamento é muito importante, tanto para mim como para a conselheira ou o conselheiro. Indica que a convivência em fé, esperança e amor são fundamentais em nossas vidas e no trabalho que realizamos.
Fiz visitas para pessoas idosas e doentes, em conjunto com algumas senhoras da OASE, com celebração de Santa Ceia com a família, em 13 oportunidades no ano. Também visitei pessoas internadas em hospitais, em 07 ocasiões, sendo 03 com celebração da Santa Ceia.
À convite de famílias da comunidade também participei de 07 almoços, 03 cafés, 03 jantas, 02 Festas de Confirmação (Guilherme Eduardo Hornburg e Jenifer Suelen Draeger), 01 Festa de Bodas de Ouro na Itoupavazinha (Casal Arno e Loria Fritzke), 01 Festa de Rei e Rainha na Sociedade Cruzeiro. Além disso, ainda participei de 15 festas de aniversário (a maioria com almoço e café), sendo que em duas dirigi uma reflexão e nas demais, geralmente, conduzi a oração de mesa. Devido a trabalho e/ou a datas iguais (mesmo dia) não consegui atender a todos os convites.
Além disso, em casa, recebi 16 visitas de pessoas ou famílias. Também acompanho 06 pessoas em aconselhamento pastoral. Ainda fui procurado para diálogos e orientações diversas.
Participei de muitas reuniões. Em várias delas inicialmente trouxe uma reflexão a partir de alguma palavra bíblica. Estivemos em 08 reuniões da Diretoria da Paróquia, sendo uma festiva. Também uma reunião foi precedida por pequena palestra sobre o cuidado com a criação – o meio-ambiente, dirigida pelo Pastor Dr. Wolfgang Schürger, coordenador da
Pastoral do Meio Ambiente na Igreja Evangélica Luterana da Baviera. Ele também falou sobre o projeto Galo Verde.
Tivemos com o colega Pastor Renato Luiz Becker 06 reuniões de planejamento, nas quais versamos sobre atividades e respectivas coordenações.
Participamos de 14 reuniões do Presbitério da Comunidade Evangélica de Tatutiba I. Além disso, participei de várias reuniões de planejamento dos grupos de atividades e de 11 reuniões diversas. Como, por exemplo, do preparo da celebração paroquial das OASEs pelo Dia das Mães na Itoupava Central; da preparação das visitas aos membros que não estão contribuindo, temática orientada pela Diácona Valmi Ione Becker; do encerramento dos conselheiros de nossa Paróquia, com abordagem desse serviço, coordenada pelo Pastor em. Friedrich Gierus, entre outras.
Realizei a celebração de 21 sepultamentos. Tivemos de nos despedir de pessoas que eram muito queridas e ativas na Comunidade. Cito apenas um exemplo: Alcido Fritzke, que era conselheiro da nossa Paróquia há 14 anos. Ele desempenhava muito bem esta tarefa. Este setor agora tem como conselheiro o Denes Roberto Becker, genro do Alcido e da Crista. Bem-vindo a este trabalho voluntário, que Deus te conceda ânimo, disposição e alegria neste serviço. Fica a nossa gratidão a vocês.
Também cabe expressar aqui gratidão ao senhor Orlando Rinkus, que deixou a função de conselheiro, mas continua ajudando ativamente a Comunidade evangélica de Tatutiba I. Ele ajudou o novo conselheiro a entrar neste trabalho voluntário, o jovem Ivan Voigt. Que Deus também lhe dê ânimo, disposição e alegria neste serviço.
Participei da Macarronada do Grupo de Canto “Quero Louvar-te”. Também participei nas Festas de 130 anos da Comunidade Evangélica de Itoupava Central e de 61 anos da Comunidade Evangélica de Rio Bonito. E participei ativamente nos trabalhos da Festa de 24 anos na Comunidade Evangélica de Tatutiba I.
Participei do Seminário de Presbíteros e Pais de confirmandos, realizado pela nossa paróquia, na Comunidade Evangélica de Itoupava Central, com assessoria do Pastor Dr. Emílio Voigt. Participei das Assembleias das Comunidades Evangélicas de Rio Bonito e de Tatutiba I; da Assembleia do Conselho Paroquial da Paróquia Evangélica de Itoupava Central; da 17ª Assembleia Sinodal do Sínodo Vale do Itajaí, na Paróquia Evangélica de Itoupava Rega.
Além disso, participei de 05 conferências ministeriais do Sínodo Vale do Itajaí e de 02 no setor III; da atualização teológica intersinodal, sob o tema: “Lutero e a Teologia da Cruz” com o professor Dr. Vitor Westhelle. Também participei da Convenção Nacional de Ministras e Ministros da IECLB, em Curitiba, sob o tema: "Entre alegria e sofrimento: espiritualidade e ética no Ministério na IECLB".
Trabalhei na Churrascada Paroquial, auxiliando a equipe externa de assadores, bem como na organização e orientação da fila do pessoal na retirada dos churrascos. Cabe mencionar que o Pastor Presidente da IECLB Dr. Nestor Paulo Friedrich, o Pastor Sinodal Breno Carlos Willrich e o presidente da diretoria do Conselho Sinodal senhor Rubens Olbrisch estiveram presentes e almoçaram neste evento.
Também participei da equipe da entrega de pasteis vendidos para empresas nos Dias de Pastel da Comunidade de Itoupava Central e da Paróquia Evangélica de Itoupava Central.
Redigi a carta para os cultos de Ação de Graças, bem como o contrato de comodato para uso pelo grupo de OASE da Estrada Carolina da UNIDADE ESCOLAR desativada: Escola Multiseriada de Gaspar, localizada na Estrada Carolina, Bairro Belchior Alto, Gaspar-SC.
Organizei a programação das atividades do segundo pastorado, após ter consultado todos os grupos e o presbitério, para o Calendário de Atividades 2014 da Paróquia Evangélica de Itoupava Central.
Ainda participei de algumas atividades em família, aniversários: do Lukas, da Karina, da Monika e da Anelize; bem como da Confirmação do Lukas. E fora do âmbito da Paróquia, com minha família, como por exemplo: da festa de 70 anos do meu pai, entre outros. Também estive em encontros de amigos, de celebrações, de casamento em Canoinhas-SC, entre outros.

CONCLUSÃO

O trabalho pastoral procura fomentar o exercício da fé na vida cotidiana. Viver a espiritualidade nos leva a uma realidade maior, para Deus, que quer moldar a nossa vida.
É essencial a leitura da Bíblia, a meditação, a oração, a celebração de cultos, encontros dos diversos grupos, que nos colocam em contato com a fonte que nutre a nossa vida: Deus.
Cada pessoa usa uma fonte para se nutrir. Contudo, quando a pessoa se alimenta de uma fonte de desgosto e amargura, ela causa irradiação negativa; quando a pessoa se alimenta da própria força, costuma ter uma irradiação com um quê de enfado, aborrecimento e tédio.
Hoje muitas pessoas estão esgotadas, porque se nutrem de fontes turvas. É como o próprio Deus diz: “O meu povo cometeu dois pecados: Eles abandonaram a mim, a fonte de água fresca, e cavaram cisternas, cisternas rachadas que deixam vazar a água da chuva.” (Jeremias 2.13).
Estas fontes turvas (ou cisternas rachadas) são a ostentação, a ambição, o individualismo, a acomodação...
Há necessidade da fonte de água fresca, de Deus. Ele precisa estar no centro e não nós. A obra é dele. É ele que trabalha em nossas vidas, faz com que o evangelho seja anunciado. Por isso, em tudo conto com a graça e ajuda de Deus. A ele seja dada a glória. Amém.
Itoupava Central, 20 de fevereiro de 2014
Mauri Schlösser
Pastor