Os Gestos!

Os Gestos!
Ah, os gestos. Alguns deles carregam o mesmo significado no mundo inteiro: Levantar o polegar – por exemplo. Já o ato de assentir com a cabeça para afirmar alguma coisa ou o de balançar a mesma dando a entender que não concordamos com determinada colocação, varia de nação para nação. Quem não se lembra do braço que algumas lideranças levantavam quando da Segunda Guerra Mundial? Quem ainda não percebeu os punhos cerrados que alguns políticos latino-americanos balançam no ar hoje em dia?
Sim, os gestos são usados como sinais de comunicação não verbal. Na Bíblia, Moisés, o libertador do povo de Israel da escravidão no Egito, fez uso de um gesto que foi aprovado por Deus. Moisés deveria estender sua mão sobre o mar. Ele o fez e este seu gesto acabou fomentando uma das histórias mais impressionantes da Bíblia. Isso mesmo! Esta atitude do libertador simplesmente salvou mais de um milhão de pessoas. Em Êxodo 14.21 se lê: Moisés estendeu a mão sobre o mar, e Deus, o SENHOR, com um vento leste muito forte, fez com que o mar recuasse. O vento soprou a noite inteira e fez o mar virar terra seca. As águas foram divididas.
Repito: Os gestos são sinais não verbais com os quais podemos nos comunicar. Deus pensou isso e repartiu esse Seu pensamento com Moisés: Se ele levantasse sua mão sobre o mar, Deus salvaria todo o povo de morrer nas mãos do Faraó. E nós com esta história?
Ora, Deus também pensou gestos para nós: Mãos postas para orar uma pequena oração ou até a oração do Pai Nosso - que tal? Se orarmos desse jeito e, junto, mantivermos o nosso coração conectado com o Senhor, então Ele mudará para melhor fatos e situações que complicam nossas vidas. Façam uso desses sinais não verbais que comunicam. Vocês perceberão maravilhas a partir de atitudes tomadas conscientemente nesse nível. Amém!
Pastor Renato Luiz Becker
22.04.2015