PENSAMENTOS SOBRE A VIDA A DOIS!

Pensamentos sobre a Vida a Dois!
É feliz a mulher e o homem que fazem do casamento um porto seguro para as suas vidas. Normalmente é assim que uma pessoa passa anos procurando, vagando por aí em busca da sua parceira ou do seu parceiro de caminhada. Coisa boa quando, de repente, essa pessoa pode experimentar a confiabilidade, a segurança e a paz numa relação a dois. Aqui me vem à mente um navio e os marinheiros embarcados nele. Tanto um como os outros não foram criados para permanecerem eternamente no porto, mas para navegar.
Isso também acontece conosco, mulheres e homens que se casam: o matrimônio é uma viagem. Sim, o casamento é o início de uma grande aventura. Ele é o começo de um novo tempo na vida. Ele aponta para um futuro comum sem qualquer rede de segurança e é neste projeto de vida que os cônjuges se atiram em busca do prazer, mesmo que o dia a dia nem sempre seja cor de rosa e a felicidade, por vezes, não se mostre tão claramente.
Agora, o que fazer se o casamento está na corda bamba? Como se comportar quando não é mais tão fácil manter o equilíbrio sobre a corda afrouxada pelas circunstâncias externas; pelos momentos de dúvida que se mostram ameaçadores? Nesta hora são muitas as mulheres e muitos os homens que enfrentam estes contratempos alicerçadas e alicerçados na fidelidade e na confiança mútua. Quem faz desse comportamento o seu “cavalo”, experimenta o bem, mesmo em meio às tribulações geradas pela história repleta de mudanças que experimentaram e ainda experimentam.
Aqui e ali o caminho do Matrimônio leva os cônjuges ao limite. Quem os ultrapassa passa a navegar em águas que podem levar à catástrofe da separação. Ora, toda a separação gera grande sofrimento para os membros da família. Daria para se dizer que, na melhor das hipóteses, a separação sempre é grave amputação. Por favor! Que ninguém ouse jogar pedras nesta hora. Neste momento os cônjuges que se separaram precisam sentir por perto as pessoas que têm “corações de carne” pulsando no peito; gente que se incline para eles.
Jesus nos desafia a sermos pessoas com corações aquecidos. Ele diz: “Sejam pessoas misericordiosas, como o Pai de vocês que está nos céus é! Não julguem.” Gente querida! É por isso que, nas horas críticas da vida, a Igreja precisa se colocar ao lado destas pessoas que enfrentam crises matrimoniais; precisa ajudar estas pessoas a procurar saídas para o sofrimento gerado pela falta de confiabilidade, lealdade e justiça. Mais do que isso, ela precisa ir ao encontro destas pessoas com compaixão no sentido de incentivá-las para um recomeço.
Quando um matrimônio acaba, isto não significa que não haja mais espaço na Igreja para as pessoas que se separaram. Tanto a mulher como o homem podem continuar participando da Igreja com seus dons, com seus talentos, com sua humanidade e com seu compromisso diante de Deus. A Igreja é o Povo de Deus que peregrina em busca das pessoas desorientadas. Ela convida estas pessoas para caminharem juntas e nunca se afastarem umas das outras.
Deus está na vida de todas as pessoas, mesmo que a vida delas tenha sido um desastre. Procuremos a chama de Deus em cada vida humana. Mesmo que a nossa vida esteja infestada de espinhos e ervas daninhas, ela sempre é um lugar onde a boa semente da Palavra de Deus pode crescer. Confiem em Deus!

Pastor Renato Luiz Becker
18.04.2015