JESUS - O BOM PASTOR



JESUS - O BOM PASTOR!
No domingo, dia 11 de setembro, a nossa Comunidade Evangélica de Confissão Luterana de Itoupava Central festejou 133 anos de vida. No Culto Celebrativo o nosso estagiário William Kreitlow e eu trabalhamos o texto de Lucas 15.1-10, a partir de uma prédica dialogada. Curiosas, curiosos para se inteirarem da mesma? Só ler abaixo. Abraços!
Renato: Querida Comunidade! Hoje o Estagiário William e eu queremos tentar trazer até vocês uma mensagem dialogada. A base para o nosso diálogo, tiramos do texto de Lucas 15.1-10, que já foi lido agora mesmo... Vamos lá William?
William: Vamos lá! Para o início da nossa conversa. Enquanto tu lias o texto de Lucas me veio à mente um texto do apóstolo João. Tu deves conhecer a história contada em João 8.1-11. Neste texto da Bíblia o evangelista relata que os Mestres da Lei, aquele pessoal do tempo de Jesus que sabia tudo e mais um pouco do Antigo Testamento, queriam provar a Jesus, para isso trouxeram uma mulher flagrada em adultério. A lei dizia que ela deveria ser provada. Se Jesus dissesse: - Não apedrejem! Ele estaria sendo incoerente com a Lei de Moisés. Já se dissesse: Apedrejem! Ele estaria transgredindo a lei civil, pois somente o Estado poderia executar sentença de morte.
Renato: Os “caras” deixaram Jesus numa saia justa...
William: Com certeza! Mas Ele era esperto... Jesus fez uma pausa e, com muita sabedoria, disse aos que estavam acossando a mulher: - "Quem estiver sem pecado, seja o primeiro que atire pedra nessa mulher."
Renato: Aqueles homens caíram em si. De repente foi como se tivessem se olhado num espelho e, ali, visto a sua podridão. A Bíblia conta que, um a um, saíram dali de fininho ou seja, eles sumiram da roda de conversa.
William: Sabe o que me impressiona? A maneira como Jesus se relacionou com aquela mulher, o modo como Ele lhe dirigiu a palavra. Jesus sempre explicitava um profundo amor e um grande apreço pelas pessoas.
Renato: Concordo contigo William! Mas ainda tem um detalhe: Jesus foi muito querido com aquela mulher e, mesmo assim, não varreu o seu pecado, a sua falta de foco para debaixo do tapete.
William: Verdade! Ele amou a mulher sendo ela pecadora e culpada de seu crime. Jesus ama o pecador, mas não o deixa como está. Ele disse a ela: vá e abandona tua vida de pecado!
Renato: Parece que estamos esquecendo o texto de Lucas 15, não é mesmo? O fato é que os dois textos deixam claro que, embora Jesus conheça a minha e a tua culpa, as nossas faltas e os nossos lados escuros, Ele não fica esperando uma horinha para nos esfregar as contas debaixo do nariz.
William: Certo! Em vez de nos desmascarar, Ele nos perdoa a tudo àquilo que admitimos na Sua frente. Sim, porque a Bíblia registra que Deus já nos amou por demais quando ainda éramos pecadores. Ele não pede condições para nos amar. Ele nos aceita assim como somos.
Renato: Eu experimento desse amor no dia a dia. Vai daí que quero encorajar a nossa Comunidade a chegar mais perto de Deus. Hoje estamos festejando 133 anos de vida neste Bairro de Blumenau. Bota presente bom nisso! Coisa boa podermos nos livrar de todos os pesos que carregamos nas costas. Pesos que, sempre de novo, temos que esconder de quem caminha ao lado para parecermos pessoas melhores do que realmente somos!
William: Jesus deixa 99 ovelhas sadias no campo para ir atrás daquela que pode ter sido abocanhada pelo Inimigo há tanto tempo. Dá o que pensar esta atitude. Isso significa que Ele também corre atrás de mim, atrás de todos nós... É inacreditável!
Renato: Sim, faz bem olhar para o futuro, sem se preocupar com a morte, mas, de forma serena, perceber que Deus é nosso amigo. Pra terminar? Em que papel tu cabes melhor, no da Mulher Adúltera ou no dos Doutores da Lei?
William: Penso bastante nos Doutores da Lei. Eles se achavam pessoas muito corretas e melhores do que àquela mulher, no entanto eles também eram pecadores, não tinham nada de melhor que a mulher pega em flagrante adultério. O único que não tinha pecado e poderia jogar a primeira pedra era Jesus, no entanto Ele escolheu amar incondicionalmente ao invés de condena-los. Isso é motivo de grande alegria e festejo!
Renato: É verdade! Mas tu não respondeste a minha pergunta. Penso que eu, como tu e todas; todos aqui, cabemos melhor no papel da Mulher Adúltera. Afastamos-nos de Deus a toda hora. Fazemos de conta que está tudo bem e, assim, continuamos em débito diante de Deus! Sim, Ele nos ama, mesmo sendo devedores. Não tenho dúvidas: Isso é motivo de Festa. Viva a nossa Comunidade Evangélica de Confissão Luterana de Itoupava Central... Parabéns a você...

Pastor Renato Luiz Becker