CULTO CAMPAL NA COMUNIDADE DE ITOUPAVA CENTRAL:

CULTO CAMPAL EM ITOUPAVA CENTRAL
No domingo, DIA 13.11.2016, festamos a vida. Iniciamos festando a mesma como nosso 1º Culto Campal. Minha prédica levou o título "Os Dons e os seus Usos" e soou mais ou menos assim...
Gente querida! O entendimento da Bíblia só se dá com a ajuda do Espírito Santo. É Ele que nos abre uma “janela” para os céus; quem nos conscientiza que, mesmo sendo pessoas corretíssimas, não nos sustentamos em pé diante da justiça absoluta de Deus; quem nos aponta a única possibilidade de experimentarmos o perdão e a salvação que Jesus Cristo dá.
No momento em que colocamos as nossas vidas nas mãos do Filho de Deus, somos agraciadas, presenteados pelo Espírito Santo com dons, capacidades especiais para tocarmos a nossa vida e a vida da nossa Comunidade Cristã.
No início do nosso Culto Campal, a Valmi nos leu o texto de 1 Coríntios 12.1-11. Nele percebemos o apóstolo Paulo preocupado com a edificação da Comunidade. Como é que se edifica uma Comunidade? Ora, servindo a mesma com os diferentes dons oriundos Espírito Santo de Deus!
Todos os dons vêm do mesmo Espírito e nenhum deles é mais valioso do que o outro. Para entendermos bem esta Palavra quero lhes contar uma historinha:
Certa vez, numa carpintaria, quando todo o trabalho havia acabado, as ferramentas começaram a conversar entre si. Elas discutiam para saber qual delas era a mais importante para o carpinteiro.
O Martelo iniciou a conversa dizendo que era ele o mais importante: - Sem mim os móveis não ficariam de pé, pois eu tenho que martelar os pregos!
Já o Serrote não deixou por menos: - Você, martelo, o mais importante? Quá, quará, quaquá! Você faz muito barulho! É ensurdecedor ficar ouvindo seu toc, toc, toc... O mais importante sou eu, o serrote! Sem mim, como é que o carpinteiro serra a madeira? Eu sou o melhor e ponto final!
- Absolutamente não - falou a Lixa: Eu é que sou a melhor! Se não fosse eu, os móveis não seriam lisinhos e perfeitos. Eu sou a mais importante!
- Nada disso - disse Chave de Fenda. Se não fosse eu, como o carpinteiro iria apertar os parafusos? Eu sim é que sou a melhor!
- Parem com essa conversa mole - disse o Esquadro. Eu sou o mais importante! Sem mim os móveis ficariam tortos! O carpinteiro nem saberia a medida. Eu sou o mais importante e está falado!
A discussão das ferramentas se deu até o dia amanhecer... Na manhã seguinte, o carpinteiro colocou sobre a mesa a planta de um móvel e começou a trabalhar! Ele usou todas as ferramentas: o serrote, o martelo, o esquadro, a lixa, a chave de fenda, a cola e o verniz para deixar o móvel brilhando...
No final do dia, cansado, ele se mostrava feliz com o serviço. Seu trabalho com o uso das ferramentas tinha ficado ótimo! Quando o carpinteiro saiu da marcenaria, as ferramentas voltaram a dialogar. Só que agora elas ficaram admirando o que tinham feito, juntas, na mão do carpinteiro: Um lindo púlpito de uma Igreja! Elas concluíram que todas eram importantes. Elas descobriram que quando todas trabalham juntas tudo anda melhor.
É isso aí! Todas, todos temos valor no Reino e na obra de Deus. É Ele quem nos usa e nos capacita para fazermos a Sua obra e cabe a nós, nos deixar usar como Suas “ferramentas”.
Os nossos dons devem beneficiar a Comunidade. Articulemos a nossa fé comunitária. Permitamo-nos o impulso do Espírito Santo, sem esquecer que os dons que Deus nos presenteou nos foram dados para serem usados na edificação da Comunidade, não apenas da nossa individualidade.